Verdades que você precisa saber antes de fazer intercâmbio na Irlanda

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Fazer um intercâmbio é uma experiência muito enriquecedora, muitas vezes isso vai mudar sua vida. Por isso antes de decidir dar esse passo largo é necessário ter certeza a onde você estará pisando.

IMG_20190110_215914_457

Eu moro na Irlanda a mais de um ano e esse é meu segundo intercâmbio. Meu primeiro intercâmbio foi a 7 anos atrás nos Estados Unidos. Depois de um tempo aqui e comparando as duas experiências, apontarei algumas verdades que todo mundo tem que saber antes de vir para Irlanda.
  • Como é o visto e quanto tempo eu posso permanecer no país?

A decisão de mudar de país envolve inúmeras questões e, claro, dinheiro. Fazer um intercâmbio envolve gastos, e essa talvez seja uma das maiores preocupações antes de fazer um intercâmbio. E isso pode ser o fator principal na escolha do seu destino, pois obviamente, se você não tiver uma fonte de renda vinda do Brasil e nem uma boa poupança pra se manter o tempo todo do seu intercambio (não se preocupe se você está lendo isso e não tiver 99% das pessoas que vem também não tem), você terá que escolher um lugar que o visto te permita estudar e também trabalhar para sobreviver.

Esse é o maior beneficio aqui da Irlanda, aqui o visto de estudante (Chamado de Stamp 2) permite que nós, meros estudantes, trabalhemos 20 horas semanais. O visto de estudante para alunos de curso de inglês dura 8 meses e a gente pode renovar mais 2 vezes.

Ainda está pensando se vem para Irlanda? Leia também os 10 motivos para fazer Intercâmbio na Irlanda.

Então, se você está planejando uma estadia longa fora do Brasil, aqui na Irlanda você pode ficar até 2 anos estudando inglês, e se depois disso você quiser ficar mais ai você terá que fazer uma graduação ou pós graduação.

Depois de concluir seu curso de graduação ou pós você pode aplicar para o visto de trabalho, a principio será um visto provisório para que você encontre um emprego na área. Ai se você encontrar um emprego bom que te dê a permissão pra trabalhar aqui, você poderá pedir o Visto Stamp 4 e ficar na Ilha por tempo indeterminado.

O visto provisório  que mencionei depende do nível do seu curso, se for uma graduação Nível 7, após a conclusão do curso, você terá 6 meses de visto, e se é uma pós graduação Nível 8 você terá permissão de 1 ano com o visto 1G.

Quer saber mais sobre o visto de estudante da Irlanda? Leia, clicando aqui, o texto completo sobre. 

Quanto custa uma graduação/ pós graduação na Irlanda? Tem valores de 4 mil euros pra cima por ano pra não  europeus. Trabalhando e economizando é  possível pagar o curso daqui.

  • Onde vou estudar?

Na Irlanda você vai encontrar vários tipos de escolas. Escolas bonitas, limpas, com mixe de nacionalidade, grandes cantinas, aquelas que parecem cenários de filme. Mas aqui você vai encontrar também escolas pequenas, que é só uma portinha que te leva pra uma escada onde cada porta é uma sala de aula.

Sim, se você pagar pouco não espere vir pra Europa e encontrar um cenário de filme europeu, pois pode ter 100% de brasileiros na sua sala e ter estruturas precárias, tipo faltar água pra beber ou papel higiênico nos banheiros.

Então a estrutura da escola e a qualidade de ensino estarão diretamente ligadas a valor da escola. Então quanto menos pagar aconselho menos expectativa criar.

  • Aprendo Inglês de verdade?

Essa pergunta só será respondida com afirmação se você se empenhar. Aqui tem muito (MUITO) brasileiro, se você falar português o dia todo é bem possível que seu inglês não melhore mesmo você indo na escola todo dia.

Mas ai você pode usar o inglês na rua, no mercado, na lojinha da esquina. Certo? Não exatamente, pois quase todo comércio ou serviço vai ter um brasileiro trabalhando. Se você for lazy vai querer ir direto no brazuca e falar português. Mas claro que você pode dar uma chance pro seu inglês e sair conversando. A questão é, muita gente não quer e depois de 8 meses de intercâmbio continua com o inglês no mesmo nível.

Mas se você quiser e se empenhar, sim, você dá uma melhora expressiva no seu inglês!!!

  • Onde vou morar? O aluguel é muito caro? Vou virar homeless porque é muito difícil achar casa?

A crise imobiliária, pelo menos aqui em Dublin, atinge todo mundo, Irish, cristãos e ateus. O aluguel é caro pra todo mundo, pra nós brasileiros, para os outros imigrantes que vivem aqui e pros Irshs também. Mas não significa que é impossível achar aquele lugarzinho pra chamar de seu.

O aluguel pode girar em torno de 300 a 500 euros por pessoa numa casa compartilhada (vai depender do lugar). Se a gente trabalhar 20 horas semanais, que nosso visto nos permite trabalhar, ganhando o salário mínimo que é 10 euros a hora e pagarmos 400 euros de aluguel, esse valor corresponderá a 50% do nosso salário. O que é absurdamente caro [!!!!] Mas em contra partida, se você mora no Brasil e ganha o salário minimo essa proporção também seria a mesma. O que a gente faz aqui é trabalhar o máximo de hora possível pra poder sobrar mais dinheiro no final do mês, já  que aqui ganhamos por hora.

Se você quer saber mais sobre acomodação em Dublin não deixe de ler o texto especifico sobre acomodação clicando aqui.

Quanto a dificuldade de achar casa é bem relativo, pois sobram anúncios de vagas nos grupos do FaceBook. O que precisa é de um pouquinho de paciência pra procurar.

  •  Vou conseguir encontrar um trabalho quando chegar? Consigo trabalhar sem falar inglês?

Quem quer trabalhar encontra um trabalho nessa ilha. As principais dificuldades iniciais para o trabalho é se você já está com todos os documentos em mãos. Se você já está com tudo certo pode ir com o verbo To Be, o currículo na mão e coragem, distribuir currículos. Caso você não esteja com tudo certo, não exite também não, pois tudo é negociável.

Meu caso, por exemplo, consegui tirar o visto, PPS e conta no banco depois de 2 meses trabalhando e só recebi o dinheiro depois que estava com tudo regularizado. Foi a melhor  opção  naquele momento.

Meu primeiro emprego eu não falava muito bem inglês mas cheguei lá com o currículo na mão e disponibilidade pra começar quando eles quisessem. E é assim que funciona aqui, você leva seu currículo e eles já perguntam quando você pode começar. Dai eles te chamarão para fazer um trial (experimentar o trabalho por algumas horas). Se você gostar do trabalho e seu chefe gostar do seu trabalho, pronto! Deu match! E assim você consegue seu emprego.

A melhor dica é  nao tenha medo de não falar inglês  muito bem no início  para arrumar  um emprego. Os empregadores aqui estão  muito acostumados com estrangeiros e o trabalho  ajuda muito a gente  desenvolver nosso inglês.

  • Quais são os trabalhos?

Os tipos de trabalho são diversos de cleaner (faxina), a kitchen porter (respondavel por lavar louça e a cozinha dos restaurantes), floor staff (responsável  por recolher os copos usados dos pubs), entregador, distribuir  panfletos na rua, segurança, vendedor, TI, baba, garçom. Enfim,tem de tudo e se você  estiver disposto vai achar um trabalho.

  • Tenho chances de trabalhar  na minha área?

Se seu planos são  investir na sua carreira e não ficar só  no subemprego aqui você  também pode conseguir desenvolvendo seu currículo e se colocando no mercado. Aqui não há descriminação de mão de obra, todo trabalho é respeitado e você  pode sim contruir sua carreira. O que você  precisa fazer é  investir em network, cursos extra curriculares aqui também  podem te ajudar a fazer esse network. Invista no LinkedIn se você  é  da área  de TI. O que é  legal aqui é  que a graduação  numa  universidade não  é  o que te qualifica como qualificado ou não, aqui eles valorizam seu background e suas experiências técnicas e se você tem prática. Então  se você  quiser trabalhar na sua área traga seu portfólio, melhore seu inglês (se você precisar) e vá  em frente, pode demorar mas você tem chance de trabalhar na sua área  sim.

 

ponde-hapenne-1

Tem alguma pergunta que não foi respondida?

Deixe nos comentários!

 

Autora

g0944098-300x225

“Luiza Cavalcanti é turismóloga  por formação, mas apaixonada por viagens mesmo antes de pensar em estudar turismo.  Já participou de intercâmbio de trabalho nos EUA e viajou sozinha pela Europa, Marrocos e América do Sul. Obstinada em realizar o sonho de se tornar viajante largou o trabalho para viajar de carona entre Argentina, Chile e o Uruguai em 2017, hoje kmantem o espirito viajante morando em Dublin na Irlanda.” Conheça mais no seu insta @lugalvaopelomundo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *