O que você precisa saber antes de planejar sua ida a Chapada Diamantina

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Planejando minha primeira viagem para Chapada Diamantina tive bastante dificuldade para entender exatamente como funcionam as atividades lá. As principais e mais básicas dúvidas não eram fáceis de encontrar como: “Como chegar lá?”, “Em que cidade hospedar?”, “O que eu posso e consigo fazer sozinho e o que eu preciso de um Guia?” “Qual agência contratar? Preciso de uma agencia?”,”O que dá pra fazer no meu tempo disponível lá?”. E como eu fui atras de trilhas a pergunta maior era “Quais trilhas fazer?”.

Eram muitas duvidadas simples que muitos textos com experiências muito pessoais não me respondiam. Então aqui vai um basicão do que você deve saber antes de programar sua ida para a Chapada Diamantina. Um lugar mágico que certamente vai ficar entre os seus preferidos e você terá muitos motivos pra voltar.

71393e14-a1f9-4948-bfd1-4656e83bbe00
Morro do Pai Inácio

Como chegar

Se você quer se hospedar em uma cidade com equipamentos turísticos, ou seja, hotéis de diversas categorias, opções de restaurantes, cafés, mercados e lojinhas, a melhor sugestão (na minha opinião) é a cidade de Lençóis.

Existe outras cidades bases para as trilhas da Chapada Diamantina, e podem ser boas opções dependendo do seu trajeto e das trilhas planejadas.

Você pode escolher se hospedar em Macugê, Andaraí, Ibicoara, em outros municípios nos limites do Parque Nacional da Chapada Diamantina, ou até mesmo no Vale Capão (um subdistrito de Palmeiras conhecido por atrair os tilelês [haha] e pelo clima esotérico e alternativo).

Antes de planejar sua ida saiba como arrumar sua mochila para as trilhas da Chapada Clicando aqui.

Por exemplo, se você quiser fazer a Cachoeira da Fumaça por cima a entrada pra trilha fica na entrada do Vale do Capão, então se você estiver por lá já estará por perto. – A Trilha Cachoeira da Fumaça por cima não necessariamente precisa de um guia.

 

Chegando em Lençóis

De qualquer forma, Lençóis é uma das principais cidades da região da Chapada Diamantina e mesmo que você não fique por lá, vale a pena visitar! A cidade é bem charmosa e tem um clima muito acolhedor, além de ter uma boa estrutura turística. Quem gosta de curtir cidadezinhas históricas e barzinhos legais tire um tempinho pra curtir a cidade.

  • Lençóis está a 425 quilometros de Salvador
  • Saindo de salvador há apenas uma empresa de ônibus que faz o trajeto para lençóis a Rápido Federal.
  • São 7 horas de viagem, podendo durar mais se houver atrasos. tem 3 horários por dia: 7 da manhã, uma da tarde e 23 horas. Dica: compre com pelo menos um dia de antecedência sua passagem pois pode acabar
  • A rodoviária de Lençóis é bem perto da principal área turística da cidade, a Rua das Pedras. Da pra fazer tudo andando pela cidade.
Você pode encontrar mais informações no site da Rápido Federal clicando aqui.  

 

254cba97-0128-4218-9e71-57f1966ba068
Foto 1 (esquerda) Cachoeira da Fumaça, vista por baixo. trilha de 3 dias. | Foto 2 ( direita a cima) Vista do mirante do Morro do Pai Inácio,trilha fácil, chaga de carro até o pé do morro. | Foto 3 (direita a baixo): Trilha durante a travessia do Vale do Pati, vista do Morro Branco.

Guias

Eu sugiro, mesmo que você seja experiente em trekking, contrate o serviço de um guia local para as trilhas mais longas. Muitas trilhas tem o nível de dificuldade alto e tem riscos eminentes. Os guias locais estão mais que acostumados com incidentes e sabem caminhos que podem te surpreender.

  • Há duas principais associações de Guias em Lençóis. E é possível contratar um guia particular ou entrar em algum grupo que eles estejam montando se você estiver sozinho, que foi meu caso. Entrando num grupo o valor diminui um pouco para todos. Ou se você preferir existem inúmeras agencias na cidade. 

Você pode ter mais informações sobre a associação de Guias de guias locais da Chapada Diamantina clicando aqui. 

  • Em passeios que te levam para mais de um atrativo no mesmo dia funcionam assim: os guias te levam em carros próprios e dinamizam o tempo do passeio, dividindo cada hora para cada atividade. O que não é muito interessante se você é daqueles que gostam de ter seu tempo em cada lugar. As vantagem de fazer passeios com  guias locais é que eles tem vários lugares especiais para mostrar e curiosidades interessantes do lugar pra contar.  É uma boa opção para quem não alugou um carro. 
40016f0d-5273-471b-8bcb-73608211289b
Foto 1 (a cima): Vista do Mirante do Pati | Foto2 (a baixo): Trilha travessia Vale do Pati

Importante saber

  • É mais vantajoso e mais barato ir de carro ou alugar um carro lá, pois têm atrativos que basta chegar de carro e você não precisa de guia. Ou seja, gastará muito menos e terá mais autonomia, poderá escolher a hora que deseja fazer as coisas.
  • As trilhas na chapada são pouco ou nada sinalizadas, por isso, tome cuidado para não se perder. A falta de sinalização está ligada a grande oferta de guias de turismo, com pouca sinalização as pessoas são obrigadas a contratar guias para não se perderem.
  • Existem cachoeiras e atrativos que as trilhas são pequenas ou não tem trilha, como o Ribeirão do Meio, Serrano, o Morro do Pai Inácio, Gruta da Pratinha, Fumaça por cima e Poços. Esses são passeios tradicionais, alguns contam com estrutura e da pra chegar bem perto de carro, por exemplo. Então se você tiver seu carro próprio você não gastará com guia para conhecer o basicão. 
9f919826-7125-47d7-817c-126a55f7c2d8
Foto 1 (a cima): Fazenda Pratinha | Foto 2 (a baixo) Poços do Serrano
  • O Vale do Pati, uma das principais travessias do Brasil, não é tão difícil e se você souber manusear GPS pode fazer sem guia. O que é necessário é reservar a hospedagem ou área de camping nas casas dos locais onde é permitido se hospedar.
Planejando sua viagem para Bahia? Veja também dicas para Salvador clicando aqui 
  • Alguns roteiros com agencias são extremamente caros pois eles incluem todo o serviço, como por exemplo fazer todas as refeições para você (isso diminui o peso da sua mochila quando se trada de longas trilhas, pois, eles sendo responsáveis pela alimentação, carregam tudo pra você). Porém, se você preferir ter sua autonomia e carregar seus equipamentos e comida é melhor contratar um guia das associações que fica responsável só por te guiar e, assim, fica muito mais barato, por exemplo.
    A travessia do Vale do Pati completa, por exemplo, que dura 5 dias, pode custar mais de mil reais em algumas agencias, porém está tudo incluso (alimentação, hospedagem, etc.). Se você contrata apenas o serviço de guia, esse valor pode diminuir mais que a metade e você fica responsável por sua alimentação e por pagar as taxas da acomodação ( se você acampar as taxas são em torno de 20 reais – valores não atualizados importante se atualizar antes de ir e levar dinheiro em nota). Ou seja, da pra baratear e ter um guia para sua segurança por perto.
    9bbbe0f4-ec22-4d14-8c2a-8bc3327ee6d3
    Vale do Pati e Trilha Cachoeira da Fumaça por Baixo com os guias Joel e Henrique.

     

  • Não é permitido acampar fora das áreas permitias do parque.
  • Mochila leve com certeza vai te ajudar a melhorar sua performance e aproveitar mais as trilhas.
  • Não existe época ruim para ir pra chapada, a diferença pode ser a alta temperatura no verão e cheias das cachoeiras devido as chuvas de verão e durante o inverno as cachoeiras podem estar mais secas, mas a região continua quente.
casa-do-joão-da-igrejinha
Residencia dos moradores locais durante a travessia do Vale do Pati. Local apropriado para camping ou hospedagem.

O que eu sugiro você conhecer na Chapada Diamantina, indispensáveis no seu roteiro:

  1. Ribeirão do meio
  2. Serrano
  3. Morro do Pai Inácio
  4. Fazenda Pratinha
  5. Poço azul
  6. Cachoeira da Fumaça por Cima
  7. Cachoeira da Fumaça por Baixo (pode ser até 3 dias de trilha)
  8. Cachoeira do Buracão
  9. Cachoeira Fumacinha (podem ser 2 dias de trilha)
  10. Travessia Vale do Pati ( passará por varias cachoeiras e mirantes) (podem ser até 5 dias de trilha)
  11. Vale do Capão e cachoeiras da região – /sugiro a o Riachinho, paga 6 reais mas tem um estruturinha legal e é um ótimo lugar pra relaxar.

 

  1. ceb1838d-d23c-4aa4-a9f6-138b217cf402
    Foto 1 (a cima): Fazenda pratinha | foto 2 (a baixo) Riachinho, Capão.

Números 1 e 2 são bem próximos a Lençóis por isso super sugiro pra ir relaxar (20 a 30 minutos andando de Lençóis). É gratuito  e não precisam de guia para chegar lá. Então quando não tiver fazendo nada da um pulinho lá.

A Chapada é um destino pra ir várias vezes, não queira fazer tudo de uma  vez, pois será impossível. A maioria das trilhas longas duram em torno de 3 dias e travessias são ainda mais longas. Programe seu roteiro de acordo com sua disponibilidade de tempo. Caso você tenha pouco tempo considere alugar um carro e fazer trilhas mais curtas.

Ah, nunca esqueça, lá é um local de ecoturismo, respeite a natureza e a população local!

df390cca-7ef7-4624-ba81-09594294587b
Descanso merecido no final da trilha em Lençóis com os amigos de trilha

Não deixe de ler também sobre os equipamentos essências para você ter sucesso nas trilhas sem sofrer. So dar um click aqui. 

E claro, não deixe de ler dicas para segurança do seu Trekking e Hiking. Só clicar aqui. 

Autora

g0944098-300x225

“Luiza Cavalcanti é turismóloga  por formação, mas apaixonada por viagens mesmo antes de pensar em estudar turismo.  Já participou de intercâmbio de trabalho nos EUA e viajou sozinha pela Europa, Marrocos e América do Sul. Obstinada em realizar o sonho de se tornar viajante largou o trabalho para viajar de carona entre Argentina, Chile e o Uruguai em 2017, hoje mantem o espirito viajante morando em Dublin na Irlanda.” Conheça mais no seu insta @lugalvaopelomundo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *